“Assim como acidentes musculares, quedas e fraturas em campo, traumatismos oculares decorrentes da prática esportiva são mais frequentes do que imaginamos e podem causar danos irreversíveis a visão do atleta.”

Até a Copa do Mundo de 2010, a Federação Internacional do Futebol (FIFA) proibia o uso de óculos em partidas; por isso, segundo o estudo desenvolvido pelo oftalmologista do Insti – tuto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, 64% dos jogadores deixavam de corrigir a visão durante os jogos e 1 em cada 4 atletas nunca tinha passado por exame de vista com medo de ser eliminado pelos treinadores.

A boa notícia é que o novo livro de regras do futebol 2011/2012 libera o uso de óculos desde que o acessório não represente risco para os atletas. Em geral, os óculos apropriados para a prática de esportes, como o futebol, apresentam armações e lentes com materiais de alta resistência ao impacto e proteção contra raios ultravioleta A, o UVA, e ultravioleta B, o UVB, e com a espessura mínima de 3 milímetros e central de 1 milí – metro. Além disso, podem ser feitos de silicone nas têmporas e no nariz e ter um formato arredondado, evitando, desta forma, que machuquem ou causem algum dano aos adversários.

fonte: http://www.cbo.com.br/novo/geral/pdf/revista-03.pdf