As novas tecnologias representam um avanço para sociedade, mas seu uso indiscriminado pode trazer uma série de complicações, principalmente para a saú- de da visão. O preocupante é que o uso de tablets, computadores e celulares acontece mais precocemente, que sem dúvida pode trazer comprometimento ocular a partir da infância. As diferentes condições do ambiente de trabalho, como umidade relativa do ar, ventilação, temperatura e iluminação podem afetar diretamente a qualidade de vida dos trabalhadores. Aqueles que desenvolvem tarefas que exigem maior atenção são os mais prejudicados.

A ergoftalmologia atua com foco na prevenção e administração do desconforto e de doenças oculares que tenham uma rela- ção com o ambiente de trabalho, visando à máxima eficácia com máxima eficiência da função visual. Trata-se de uma área da ciência multidisciplinar que estuda os ambientes de trabalho, propondo o melhor relacionamento entre o trabalho e a visão. Para o oftalmologista, o entendimento desta área da ciência traz uma melhor compreensão sobre queixas dos pacientes que não apresentam correlação clínica, mas que tinham sua etiologia no ambiente de trabalho.

Aplica-se para promover uma conformidade do ambiente de trabalho, que deve ser planejado antecipadamente. Quando não é possível, e o ambiente não apresenta as condições ideais, os erros devem ser detectados e corrigidos. Algumas providências podem ser tomadas em relação aos cuidados com os olhos e com a postura corporal durante o uso de computadores, leituras prolongadas ou tarefas repetitivas, nos diferentes ambientes.

A ergoftalmologia também recomenda especial atenção com rela- ção às salas mal iluminadas ou focos de luz no campo de visão, que alteram o ritmo de abertura das pupilas. Neste tipo de ambiente, tem-se como resultado um maior cansaço e fadiga dos músculos dos olhos. Em ambientes com luz azul, presente nas lâmpadas de halogênio metálicos e muito difundidas em ambientes de trabalho, aumenta-se o risco de degeneração macular.

As empresas precisam estar atentas à importância de investirem na saúde ocular de seus funcionários. Dependendo das condi- ções do ambiente de trabalho, a visão pode sofrer prejuízos, que muitas vezes são irreversíveis. Por outro lado, está comprovado que o cansaço e o desconforto nos olhos diminuem o rendimento dos profissionais. Por isso, é mais do que lógico afirmar que a empresa que cuida dos olhos do trabalhador aumenta sua produtividade.

Para amenizar os efeitos do uso do computador sobre a visão, planejamento do ambiente de trabalho e lazer onde se insere o uso continuado da visão deve ser o primeiro passo. A conscientização dos arquitetos e engenheiros que planejarão ambiente de trabalho é fundamental, bem como de todos os participantes da CIPA, médicos do trabalho, enfermeiros e psicólogos.

Por isto o caráter multidisciplinar da ergoftalmologia. Não existe uma comprovação científica sobre o aumento da miopia pela leitura excessiva ou uso de computadores, existem apenas evidências e muitos são os especialistas em todo mundo que passaram a estudar atentamente este fenômeno.

Olho seco funcional, por exemplo, é descrito como uma das entidades comuns em microclima ou macroclima de trabalho, onde os olhos são submetidos aos mais variados agentes agressores emanados em decorrência da umidade, temperatura e velocidade do ar ambiente.

A astenopia ocupacional é um fenômeno multifatorial que decorre das condições irregulares do ambiente de trabalho. É uma síndrome caracterizada por sintomas multifatoriais decorrentes de alterações da superfície ocular, determinada por alteração do filme lacrimal durante a jornada de trabalho, por exemplo, ou por alterações decorrentes da motilidade ocular, por esfor- ço acomodativo devido às atividades oculares intensas; assim como a cefaleia, distúrbios visuais, tais como visão dupla, visão borrada, sensação de areia nos olhos, entre outros. Estes pacientes, muitas vezes poliqueixosos, vão ao consultório médico oftalmológico e, após o exame minucioso, o oftalmologista não registra alterações clínicas sem considerar as condi- ções de trabalho do paciente. Foi confirmado que há alteração do filme lacrimal durante a jornada de trabalho, fator este determinante da maioria dos sintomas de astenopia.

“A fadiga visual é um mal que atinge um número cada vez maior de pessoas. Não há um perfil específico, crianças, jovens, adultos e idosos podem ser acometidos por esse problema, na medida em que a visão não seja preservada.”

Causas multifatoriais oriundas das mais variadas fontes, tais como alterações da umidade relativa do ar, velocidade do ar e temperatura. Determinando a origem de agentes agressores; alterações de iluminação do ambiente de trabalho, todos estes fatores que devem ser planejados e controlados dentro de princípios que preservem a saúde ocular do trabalhador.

A fadiga visual é um mal que atinge um número cada vez maior de pessoas. Não há um perfil específico, crianças, jovens, adultos e idosos podem ser acometidos por esse problema, na medida em que a visão não seja preservada.

Medidas pessoais podem ser tomadas no sentido de amenizar as dificuldades causadas por ambientes não planejados. Observar as condições de iluminação e ventilação e temperatura do local e tentar minimizar os erros. Para o trabalhador, no caso de uso do computador, o recomendado é que a cada 50 minutos o usuário faça um pequeno intervalo, redirecionando o olhar para um ponto distante, ao infinito, com finalidade de relaxamento da musculatura intrínseca do olho. Também é recomendado piscar com mais frequência, para permitir um espalhamento da lágrima sobre a superfície ocular, determinando sua renovação para a proteção da mesma.

fonte: http://cbo.net.br/novo/publicacoes/revista_vejabem_08_bq.pdf

 

Open chat
1
Olá, como podemos lhe ajudar?