• Pupila contraída: pode ser resultante de toxoplasmose, doenças reumáticas autoimunes, herpes, tuberculose, lepra ou certos tipos de leucemia;

• Pupila dilatada: pode estar relacionada a tumores, glaucoma, trauma, doenças do sistema nervoso central;

• Visão dupla: pode apontar presença de tumor intracraniano, acidentes vasculares centrais, traumas e hiperglicemia;

• Olhos saltados e inchaço: são sinais, principalmente, de distúrbios da tireoide;

• Cegueira momentânea: pode indicar tumor intracraniano, má circulação no cérebro ou arritmia cardíaca;

• Visão borrada: borrões ou manchas vermelhas persistentes nas áreas brancas de ambos os olhos podem sinalizar diabetes, sangramento ocular, inflamação ou hipertensão arterial;

• Olho seco: a falta de lágrima pode ser causada por disfunções hormonais, menopausa e até Síndrome de Sjögren – doença reumática crônica. A menopausa causa mudanças nos níveis dos hormônios, afetando, entre outras coisas, os mecanismos de lubrificação dos olhos;

• Vermelhidão: viroses ou infecções localizadas podem causar vermelhidão nos olhos. Outros possíveis sintomas são: dor ao redor dos olhos, sensibilidade à luz e olhos lacrimejantes;

• Anéis ao redor da íris: um anel branco com aspecto leitoso ao redor da íris pode ser um sinal de colesterol alto. Ele é causado por uma deposição de gordura na córnea, a área clara do olho.

Lembre-se que, em qualquer sintoma, a melhor opção é consultar um oftalmologista. Só ele poderá dar o diagnóstico correto e indicar o melhor tratamento para você.

fonte: http://www.cbo.net.br/novo/publicacoes/revista_veja_bem_07.pdf

Open chat
1
Olá, como podemos lhe ajudar?