O uso de óculos de sol com um bom filtro UV deve ser considerado, assim como são os cremes que protegem o corpo e o rosto. Isso porque, além de proteger contra os efeitos perigosos do sol, complementa a proteção solar da pele, previne o envelhecimento e pode diminuir os riscos de doenças oculares.

Os óculos de sol não representam apenas uma compra de acessório para cuidar do visual, mas um benefício a mais para prote- ção da saúde ocular. Portanto, para isso não vale economizar e perder em qualidade, é um investimento importante! Os filtros UVA e UVB impedem que os raios solares atravessem as lentes gerando proteção e garantia de saúde para os olhos.

A exposição aos raios solares, sem proteção, pode deixar marcas não só na pele, mas também nos olhos. Mas, atenção! Usar óculos escuros sem filtro solar pode ser pior do que não usar nada. É bom estar atento aos óculos de má qualidade, pois estes não oferecem proteção aos olhos e representam maior risco em dias ensolarados. Naturalmente, a pupila se fecha ao perceber a entrada de luz no olho, porém a lente escura vai inibir esse processo deixando-a dilatada no caso de pouca luminosidade. A falta de filtros necessários para proteção diante deste processo pode danificar a visão.

PROBLEMAS CAUSADOS À VISÃO, NOS CASOS DE EXPOSIÇÃO EXAGERADA AO SOL
• Tumores nas pálpebras e na retina (leva à cegueira);
• Cansaço do franzir sem cessar os olhos;
• Queima da córnea e desenvolvimento de inflamações; • Aceleração de uma catarata. Pessoas com intensa exposição ao sol sem proteção têm 60% mais chance de ter a doença;
• Risco de se perder a visão mais rapidamente a partir dos 60 anos;
• O sol também pode acelerar as possíveis causas da presbiopia, a popular “vista cansada” (problema ocular que afeta todas as pessoas, geralmente, a partir dos 40 anos de idade).

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 20% dos casos de catarata resultam da excessiva exposição ao sol.

Mas como escolher os óculos de sol que de fato vão proteger os olhos? Em primeiro lugar, é importante escolher o local onde o produto será comprado.

Seguem algumas dicas:
• O ideal é que os óculos se adaptem bem em seu rosto, não permitindo a passagem de luz pela lateral das lentes; • As lentes espelhadas são eficientes, mas não são melhores que as de resina ou cristal;
• Ao comprar o produto, olhe fixamente em um ponto e passe os óculos na frente dos olhos. Caso perceba distorção na imagem, não compre;
• As lentes dos óculos devem ter 100% de proteção UV. É importante pedir o certificado do filtro antiUV do fabricante;
• Para crianças, o ideal é usar óculos com lentes de policarbonato, que são inquebráveis, evitando acidentes em caso de quedas.
• Evite comprar óculos de sol de procedência duvidosa, pois não há como comprovar a existência de proteção contra os raios UV, além de o material das lentes e das armações, geralmente, não serem de boa qualidade, o que oferece risco para a visão.

Segundo especialistas, em momentos de exposição solar o uso de chapéu com abas largas pode reduzir pela metade a quantidade de radiação UV que entra nos olhos. Ingerir vegetais folhosos verdes, feijão verde, milho e gemas de ovos ajudam a proteger os olhos. Isso porque estes alimentos contêm uma substância chamada luteína, que ajuda na filtragem da luz solar nociva que atinge o fundo do olho.

RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA A (UVA)
Tem intensidade constante durante todo o ano, atingindo a pele praticamente da mesma forma durante o inverno ou o verão.

Sua intensidade também não varia muito ao longo do dia, sendo maior entre 10h e 16h do que nos outros horários. Penetra profundamente na pele e suprime o sistema imune, sendo a principal responsável pelo fotoenvelhecimento.

Tem importante participação nas fotoalergias e também predispõe a pele ao surgimento do câncer.

Estão presentes nas câmaras de bronzeamento artificial em doses mais altas do que na radiação proveniente do sol.

RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA B (UVB)
Aproximadamente 90% desta radiação não chegam até a superfície da Terra, sendo absorvida pela camada de ozônio da atmosfera.

Os raios UVB penetram com menos profundidade em relação aos raios UVA, e são eles os responsáveis pelas queimaduras solares.

A incidência da radiação UVB aumenta muito durante o verão, especialmente nos horários entre 10h e 16h, quando a intensidade dos raios atinge seu máximo.

A radiação UVB é a principal responsável pelas alterações celulares que predispõem ao câncer da pele, como os carcinomas basocelular e espinocelular.

Fonte: www.dermatologia.net


fonte: http://www.cbo.net.br/novo/publicacoes/revista_vejabem_09_leitura.pdf

Open chat
1
Olá, como podemos lhe ajudar?