A maioria das pessoas enxerga com considerável precisão o ambiente a sua volta, em relação ao próprio corpo. Isso acontece por causa da percepção de profundidade que uma visão binocular (dos dois olhos) proporciona, captando os objetos que se movem em nossa direção ou os que se afastam. Mas quando o indivíduo enxerga somente de um olho ele acaba perdendo esta percep- ção de profundidade de campo, o que caracteriza a visão monocular. Mas, para entender com um pouco mais de clareza sobre o assunto, entrevistamos o Dr. Harley Edson Amaral Bicas, oftalmologista que, em uma de suas áreas de atuação, trabalha com visão monocular.

O que é visão monocular?
Dr. Harley Bicas: Visão é o conjunto de informações sobre estruturas do espaço (seres vivos e inanimados) e suas relações (formas, texturas, brilhos e cores, dimensões e distanciamentos, movimentos) providas pelo “olhar”, isto é, pelo direcionamento do olho a esses objetos de atenção (situados à sua “frente”). É o que dá base ao que se diz “enxergar” (a qualidade da discriminação de detalhes), ou “ver” (o reconhecimento cognitivo dessas informações). Assim, visão monocular, como o nome indica, é a função sensorial provida por um olho. Com base nessa afirmação descritiva das propriedades de cada um de seus termos constituintes, visão monocular é uma qualidade (não um defeito) comumente tomada como significativa de visão. Entretanto, a natureza dispõe dois olhos aos vertebrados, dos quais lhes resultam informações mais vantajosas sobre configurações do espaço. Assim, por subordinação a esta qualidade visual facultada pelos dois olhos (visão binocular), a outra (visão monocular) torna-se, isoladamente, deficitária, insuficiente. É com essa conotação que se costuma designá-la, ou seja, visão monocular é uma condição defeituosa da visão binocular.

fonte: http://www.cbo.net.br/novo/publicacoes/vejabem_04.pdf

Open chat
1
Olá, como podemos lhe ajudar?